9.1.Trabalho práticos – pesquisa

Fiz alguma pesquisa sobre o assunto desta sessão, com a finalidade de ampliar o conhecimento.

Todo o conhecimento, segundo David Hume, baseia-se e constrói-se a partir de impressões sensoriais por via de utilização dos órgãos dos sentidos. Esta perspectiva empirista-indutivista da ciência, defende que a observação fornece uma base segura, a partir da qual é possível extrair o conhecimento científico por indução.  A verdade é absoluta, pois contém em si a prova empírica através de dados verificados por observações e experimentações.

O pensamento contemporâneo da ciência – epistemologia racionalista – defende que a ciência envolve ideias, conceitos e teorias usadas para interpretar o mundo e não a descrição de factos abstraídos desse mundo. Na epistemologia contemporânea desloca-se o conceito de objecto da ciência: de dado passa a pertencer ao domínio do construído. Einstein defendeu que a ciência não é uma colecção de leis, é uma criação do espírito humano com ideias e conceitos livremente inventados. É também esta linha de pensamento defendida por Poper ao defender que o conhecimento é uma procura da verdade e não uma procura da certeza.  Popper contesta a passividade para onde as perspectivas empiristas-indutivistas remetem o sujeito no processo de conhecer.

Em termos pedagógicos, o processo de aprendizagem deve assentar numa abordagem investigativa no sentido de resolução de problemas contextualizados.

O ensino da ciência pelo método transmissivo caracteriza-se em dar ênfase à instrução formal de um corpo de conhecimentos bem definido. É um ensino verbalista, baseado quase exclusivamente na exposição oral dos conteúdos científicos pelo professor. O conhecimento é exterior ao sujeito.

A aprendizagem pela descoberta, implementada em Portugal a partir da década de 70 do século passado, com origem em países anglo-saxónicos (década de 60 e 70), visava colocar o aluno na posição de cientista. Esta pedagogia defende que os alunos só compreendem a ciência se eles próprios se envolverem nos passos do inquérito científico… os alunos aprendem por si sós qualquer conteúdo científico a partir da observação. Quer o ensino transmissivo quer o da descoberta baseiam-se no behavorismo e numa epistemologia empirista-indutivista.

A psicologia cognitivista, assenta numa epistemologia racionalista, e estuda a cognição, os processos mentais que estão por detrás do comportamento. É uma das disciplinas da ciência cognitiva. Esta área de investigação cobre diversos domínios, examinando questões sobre a memória , atenção, percepção, representação de conhecimento, raciocínio, criatividade e resolução de problemas. O construtivismo insere-se neste contexto epistemológico e psicológico. O construtivismo recusa o isolamento do sujeito das coisas a conhecer. O saber não pode resultar senão  da nossa própria experienciação da realidade e da nossa própria construção, isto é, todos os processos psicológicos superiores têm uma ordem social, uma vez que traduzem a experiência sócio-cultural e se adquirem na interacção social. O aluno, na perspectiva construtivista, é envolvido na construção de significados, confrontando o seu conhecimento anterior com novas situações, o que conduz à reconstrução das suas estruturas de conhecimento.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: